Como funcionam os aplicativos de namoro online

30% dos adultos brasileiros afirmam ter usado um site ou aplicativo de namoro. A maioria dos namorados online diz que sua experiência geral foi positiva, mas muitos usuários,  especialmente mulheres mais jovens,  relatam ter sido assediados ou receberam mensagens explícitas nessas plataformas

De anúncios pessoais que começaram a aparecer em publicações por volta de 1700 a serviços de namoro em videocassete que surgiram décadas atrás, as plataformas que as pessoas usam para procurar parceiros românticos evoluíram ao longo da história. Essa evolução continuou com o surgimento de sites de namoro online e aplicativos móveis.

Esses sites você pode encontrar muitos e diferentes tipos de pessoas, por isso é sempre bom ter muito cuidado, desde assediadores, pessoas com má índole, ou pessoas que não te interessam, para aquelas que podem te interessar como, pessoas animadas, felizes, acompanhantes em Joinville e etc.

Como são os relacionamentos pela internet

Pesquisas mostram que três em cada dez brasileiros usaram um site ou aplicativo de namoro, 12% se casaram ou estiveram em um relacionamento sério com alguém que conheceram por meio de namoro online

Acompanhantes em Joinville

Hoje, três em cada dez adultos brasileiros dizem que já usaram um site ou aplicativo de namoro online,  incluindo 11% que o fizeram no ano passado, de acordo com uma nova pesquisa realizada no setor. Para alguns brasileiros, essas plataformas têm sido fundamentais para estabelecer conexões significativas: 12% dizem que se casaram ou estiveram em um relacionamento sério com alguém que conheceram por meio de um site ou aplicativo de namoro. Ao todo, cerca de um quarto dos brasileiros (23%) afirma que já teve um encontro com alguém que conheceu por meio de um site ou aplicativo de namoro.

Brasileiros e as plataformas de namoro

Estudos anteriores sobre namoro online indicam que a proporção de brasileiros que usaram essas plataformas,  bem como a proporção que encontraram um cônjuge ou parceiro por meio delas,  aumentou com o tempo. Em 2013, 11% dos adultos brasileiros disseram que já usaram um site ou aplicativo de namoro, enquanto apenas 3% relataram que iniciaram um relacionamento ou casamento de longo prazo com alguém que conheceram por meio de namoro online. 

É importante observar que existem algumas mudanças na redação das perguntas entre as pesquisas de 2013 e 2020, bem como diferenças na forma como essas pesquisas foram conduzidas. Mesmo assim, está claro que sites e aplicativos móveis estão desempenhando um papel mais importante no ambiente de namoro do que nos anos anteriores.

A pesquisa atual mostra que o namoro online é especialmente popular entre certos grupos  particularmente adultos jovens e aqueles que se identificam como lésbicas, gays ou bissexuais (LGB). 

Aproximadamente metade ou mais dos jovens de 18 a 29 anos (48%) e adultos LGB (55%) dizem que já usaram um site ou aplicativo de namoro, enquanto cerca de 20% em cada grupo dizem que se casaram ou estiveram em um relacionamento de compromisso com alguém que conheceram por meio dessas plataformas. Os brasileiros que usaram o namoro online oferecem uma visão mista do tempo que passam nessas plataformas.

Descrição do namoro online

Em um nível mais amplo, os usuários de namoro online são mais propensos a descrever sua experiência geral usando essas plataformas em termos positivos, em vez de negativos.

Acompanhantes em Joinville

Além disso, a maioria dos encontros online dizem que foi pelo menos um pouco fácil para eles encontrar outras pessoas que consideravam fisicamente atraentes, com quem compartilhavam interesses ou que pareciam ser alguém que gostariam de encontrar pessoalmente. 

Contras do namoro online

Mas os usuários também compartilham algumas das desvantagens do namoro online. Aproximadamente sete em cada dez namorados online acreditam que é muito comum aqueles que usam essas plataformas mentirem para tentar parecer mais desejáveis. E por uma ampla margem, os brasileiros que usaram um site ou aplicativo de namoro no ano passado dizem que a experiência os deixou mais frustrados (45%) do que esperançosos (28%).

Outros incidentes destacam como sites ou aplicativos de namoro podem se tornar um local para comportamento incômodo ou de assédio, especialmente para mulheres com menos de 35 anos. Por exemplo, 60% das usuárias de 18 a 34 anos dizem que alguém em um site ou aplicativo de namoro continuou a entrar em contato depois de dizerem que não estavam interessados, enquanto uma parcela semelhante (57%) relatou ter recebido uma mensagem ou imagem sexualmente explícita que não havia pedido.

Acompanhantes em Joinville

O namoro online não só interrompeu as formas mais tradicionais de encontrar parceiros românticos, mas também surgiu em um momento em que as normas e comportamentos em torno do casamento e da coabitação também estão mudando, à medida que mais pessoas adiam o casamento ou escolhem permanecer solteiras.

Essa mudança de realidade gerou um debate mais amplo sobre o impacto do namoro online nos relacionamentos românticos no Brasil. Por um lado, alguns destacam a facilidade e eficiência de usar essas plataformas para pesquisar datas, bem como a capacidade dos sites de expandir as opções de namoro dos usuários além de seus círculos sociais tradicionais. 

Outros oferecem uma narrativa menos lisonjeira sobre namoro online, variando de preocupações sobre golpes ou assédio à crença de que essas plataformas facilitam relacionamentos superficiais em vez de relacionamentos significativos. Esta pesquisa descobriu que o público é um tanto ambivalente quanto ao impacto geral do namoro online. 

Metade dos brasileiros acredita que os sites e aplicativos de namoro não tiveram um efeito positivo nem negativo sobre namoro e relacionamentos, enquanto parcelas menores acham que seu efeito foi principalmente positivo (22%) ou negativo (26%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *