Uma pesquisa do Instituto de Ciência Industrial da Universidade de Tóquio revelou que o concreto descartado pode ser reforçado com a adição de resíduos de madeira. Essa técnica pioneira promete ser uma maneira ecológica de aprimorar estruturas de concreto, reduzindo simultaneamente os custos de construção, reduzindo as emissões de carbono e protegendo o meio ambiente. Espera-se que este novo método inovador ajude a fazer melhor uso do concreto velho e de qualquer planta de resíduos ou materiais de madeira.

Com métodos tradicionais, a reutilização de concreto velho é inviável. O primeiro autor da equipe de pesquisa, Li Liang, explicou: “Apenas a reutilização do agregado do concreto velho é insustentável, porque é a produção de novo cimento que está impulsionando as emissões das mudanças climáticas”. A equipe, portanto, procurou encontrar uma abordagem melhor, particularmente uma que “ajudasse a promover a economia circular do concreto”, de acordo com a Universidade de Tóquio.

O processo inovador envolve pegar concreto descartado e triturá-lo em pó. O desperdício de madeira também é proveniente de serragem, sucata de madeira e outros resíduos agrícolas. Em vez de enviar essa madeira para aterros, ela é aproveitada no processo de reciclagem de concreto do ingrediente principal, a lignina. A lignina é um polímero orgânico que compreende o tecido vascularizado da madeira e é responsável pela rigidez da madeira.

O concreto, agora em pó, é então combinado com água e lignina para formar uma mistura. Essa mistura é aquecida e pressurizada, permitindo que a lignina se torne um adesivo que preenche as lacunas entre as partículas de concreto. O que resulta é um concreto recém-formado com maior maleabilidade do que o concreto original. Além disso, a lignina torna esse novo concreto reciclado mais biodegradável .

“A maioria dos produtos reciclados fabricados exibia melhor resistência à flexão do que a do concreto comum”, disse Yuya Sakai, líder da equipe e autor sênior do estudo. “Essas descobertas podem promover uma mudança em direção a uma indústria da construção mais ecológica e econômica, que não apenas reduz as reservas de resíduos de concreto e madeira , mas também ajuda a resolver o problema das mudanças climáticas “.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *