Big Data: saiba o que é e para que serve esse conceito

Uma inteligência artificial que vem crescendo, no sentido de ter seu uso nas empresas mais requisitado é o big data

Esse conceito, basicamente, é utilizado para melhorar o desenvolvimento de uma empresa, por meio de uma compreensão e geração de resultados de qualidade.

Por esse motivo, torna-se necessário entender o significado desse conceito. 

Ele se refere à capacidade de coletar um grande volume de informações, analisá-las e extrair ideias relacionadas à inteligência de negócios. 

Ele é capaz de encontrar tendências, padrões e adicionar inteligência, tornando possível compreender o passado, controlar o presente e adiantar o futuro. 

Portanto, é preciso que todos os dados sejam analisados cuidadosamente e que sejam relevantes.

Para facilitar o entendimento: quando uma pessoa entra em uma rede social de vídeos e pesquisa por “avaliacao patrimonial a valor de mercado”, ela se deparará com diversos resultados, por meio do seu banco de dados disponível aos usuários. 

Com ele, as empresas se tornam capazes de entender o seu funcionamento e coletar dados que podem se tornar a base das próximas estratégias de marketing, pois conhecem cada vez melhor os seus consumidores, e de resolver problemas mais complexos. 

Definindo mais o conceito de big data, ele é uma chegada em volumes crescentes de informação com grande variedade e com velocidade cada vez maior, caracterizando os seus três Vs, explicados a seguir. 

O volume se refere à quantidade de informações importadas. A velocidade, à taxa na qual esses dados chegam até o sistema, sendo ela a mais rápida. E a variedade, aos diferentes tipos de informações disponíveis. 

O big data se tornou um conceito tão usado e importante porque permite que as empresas entreguem seus produtos com um valor implementado de acordo com os dados de seus clientes, os quais foram analisados por essa estratégia. 

É preciso realizar uma análise constante, com o objetivo de garantir maior eficácia nas estratégias implementadas e auxiliar no desenvolvimento dos novos produtos, garantindo que as decisões sejam tomadas de maneira mais precisa. 

A relação com o marketing

O big data ganhou grande relação com o setor de marketing das empresas, pois elas estão inseridas em um ambiente cada vez mais competitivo e que exige delas encontrarem formas de se destacar para conseguirem se desenvolver.

Com o crescimento da internet e dos meios de comunicação pelo mundo digital, os consumidores passaram a ser inundados por publicidade e novos produtos o tempo inteiro. 

Dessa forma, elas precisaram encontrar formas de se diferenciar, seja criando promoções gigantes de descontos na clinica exame ocupacional ou desenvolvendo publicidade em outdoors com luzes. 

Assim, tornou-se imprescindível entender suas características, desejos e necessidades, para encontrar formas de oferecer soluções ao invés de apenas vendas, com toques personalizados e de maneira prática. 

Para fazer isso, a empresa deve realizar uma análise de todas as tendências, hábitos e propensões. 

Isso pode ser feito por meio do cruzamento de informações coletadas de diversas fontes. 

Portanto, serão analisados alguns aspectos relacionados ao marketing que conseguem receber auxílio ao utilizarem a estratégia de big data.

Interpretação de informações

Quando uma empresa interpreta os dados que foram coletados, ela consegue entender como suas decisões irão afetar os seus consumidores, conseguindo definir as ações com maior eficiência e garantindo melhores resultados.

Dessa forma, a empresa precisa ter um especialista que consiga interpretar todas as informações e saiba ajudar a marca nos momentos de tomá-las como base para as decisões. 

Veja na prática: uma empresa de recarga de extintores que tem o conhecimento de que seu público está concentrado nas redes sociais pode investir em publicidade nelas, garantindo maior acesso, e consequentemente, melhores resultados. 

Isso tudo porque ela analisou os dados e compreendeu como torná-los benéficos para o seu desenvolvimento, ou seja, por meio do big data. 

Ciência dos compradores

O big data permite encontrar um padrão entre as informações encontradas no banco de dados. 

Isso é essencial para as empresas, pois elas precisam definir a sua persona, que é o cliente ideal, encontrando todas as características mais frequentes dos compradores. 

Esse conceito engloba informações como seus hábitos de consumo, interesses, desejos e problemas, permitindo que a empresa crie produtos e serviços personalizados, instituindo estratégias de qualidade. 

Nesse momento, o big data é capaz de definir os padrões de comportamento dos consumidores e como eles atuam no mercado, possibilitando um retorno maior para ela, por conseguir implementar estratégias que agradarão os clientes. 

Um exemplo é uma empresa de tecnologia que sabe que o seu maior público é de adolescentes e jovens adultos, que precisam de uma forma de tecnologia prática e completa. 

Assim, ela consegue realizar as campanhas de seu notebook novo nas plataformas em que eles estão mais presentes e inserindo-a em um conteúdo que mais os atrai e instiga a compra.

Interfere na experiência de compra

Para agradar um cliente e ter estratégias de marketing eficientes, uma empresa precisa conhecer a experiência de compra dos consumidores, os momentos de desistência, os tópicos que atraem os clientes e os motivos para tais ações. 

Entendendo esses dados, ela pode proporcionar uma experiência de compra melhor e mais eficiente, garantindo que os seus clientes se sintam satisfeitos e gostem de comprar. 

Veja se uma organização que vende brinde personalizado para empresa percebe que a maioria dos seus clientes desiste da compra devido a uma grande quantidade de informações a serem preenchidas, consegue inverter os resultados. 

Isso acontece porque ela pode diminuir o número de dados pedidos, facilitando a experiência de compra, garantindo mais acessos e vendas, pois o cliente ficará mais empolgado com o processo, em geral. 

Como funciona o big data

Essa estratégia consegue fornecer novos dados capazes de abrir diferentes oportunidades e modelos de negócios. O processo do big data pode ser dividido em três passos iniciais. 

  1. Integração

A primeira etapa é a de integração, ou seja, coletar e reunir dados de diferentes fontes e aplicativos. 

Durante esse processo, é necessário inserir dados, processá-los e conferir se estão disponíveis para que os analistas consigam iniciar a sua utilização. 

  1. Gerenciamento

O segundo passo é o de armazenamento, podendo ser ele na nuvem, em um local ou nos dois. 

Essa etapa pode ser feita da maneira que a empresa achar melhor e conseguir informar todos os recursos de processamento. 

A nuvem é um local que vem ganhando muitos utilizadores, pois permite que o gestor acesse os dados de onde estiver e a qualquer momento, desde que conectado à internet, tornando-se muito útil para a otimização e praticidade do trabalho. 

Isso é, se o dono de uma empresa de serviços de cabeamento estruturado estiver em sua casa e deseja analisar um dado, pois teve uma ideia de projeto, ele só precisa entrar na sua conta online e conseguirá analisar tudo o que quiser, sendo muito mais fácil.

  1. Análise

Após ter todos dados encontrados e armazenados, é o momento de analisar tudo para trabalhar com base neles. 

Essa etapa serve para mostrar com mais clareza todas as informações que foram coletadas, podendo ainda descobrir novos tópicos. 

Por ser a etapa final, ela serve como a base mais objetiva das informações, sendo o conteúdo final em que a empresa deve entender para fazer a estratégia funcionar como deve de fato. 

Por exemplo, uma empresa de serviço de entrega motoboy, nesta fase, já possui todos os dados sobre seus consumidores, como que preferem links no e-mail.

Portanto, precisa investir nestas especificações para garantir que todo o processo conseguirá melhorar os resultados. 

Vantagens do big data

Portanto, como já há pleno conhecimento de como o big data funciona e o que ele significa realmente, serão listadas as vantagens da implementação dessa estratégia:

  • Análise das vendas em tempo real;
  • Diminuição dos gastos com estratégias ineficientes;
  • Investimento nas estratégias que funcionam;
  • Conhecimento pleno sobre o mercado;
  • Diminuição dos riscos;
  • Elevação da produtividade da equipe;
  • Adequação das estratégias aos objetivos reais;
  • Vistoria personalizada dos projetos.

De forma geral, uma empresa que aluga sala privativa e conhece esses dados, consegue se desenvolver melhor.

Visto que cria estratégias mais eficazes, acompanha a sua evolução, consegue aumentar seu lucro e, consequentemente, desenvolver-se mais rápido.

Considerações finais

O big data está se tornando uma parte integrante das empresas e pode ajudar no rápido desenvolvimento delas com qualidade e eficiência. 

Por ser uma estratégia baseada na análise e compreensão das informações relacionadas ao universo das empresas, ela pode ser muito benéfica em seus diversos setores. 

Contudo, para garantir que o seu uso seja de qualidade, é imprescindível entender a maior quantidade de informações sobre ela, garantindo um pleno conhecimento do que fazer e de como fazer. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *